Arquivo da categoria: Restaurantes

Uma chata na Globo

E não é que a Fernanda apareceu no Jornal Hoje, junto com o Bruno e o Allan do Kekanto?

Mexico Villa

Mexico Villa

Esse é mais um de nossos “queridinhos”: o Mexico Villa. Trata-se de um pequeno restaurante mexicano situado na Rua Purpurina, bem ao lado da matriz da Oficina de Pizzas.

Mexico Villa

A discrição da fachada contrasta com a decoração temática e exagerada — variando das cores berrantes nas paredes à estampa floral das almofadas. Quando entramos é um verdadeiro choque: sentimo-nos imediatamente saindo de São Paulo.

Como já dissemos, o restaurante é pequeno, mas normalmente há mesas disponíveis. Em nossa primeira visita (2010), o cardápio contemplava um “menu degustação” que, além de ser muito barato, incluía o melhor prato da casa: chili con carne.

Mexico VillaDessa vez, tínhamos mais um cupom de desconto do Club89, que dava direito ao prato mexicano: arroz mexicano, feijão mexicano, tortillas nachos, guacamole e mais quatro acompanhamentos (tacos, enchiladas, burritos ou tostadas), de R$51,00 por R$25,00.

Separados, os pratos não são caros: tacos a R$7,50 cada, enchiladas a R$23,90 (porção com duas) e tostadas a R$30,90 (porção com quatro).

De entrada, a Fê pediu uma pimenta Jalapeño Empanada (recheada com chili, acompanhada de guacamole, R$5,00). Gostosa e (como esperado) ardida.

prato combinado: arroz, feijão, nachos e guacamoleO guacamole continua espetacular. Suave, quase sem gosto de abacate. Os nachos, quentinhos e crocantes, eram a combinação perfeita. Em nada se assemelham aos Doritos que muitos restaurantes mexicanos tentam nos empurrar.

O arroz mexicano (arroz temperado) e o feijão amassadinho foram meros coadjuvantes. Já os tacos crocantes foram o ponto alto da noite. As tostadas de carne, no entanto, apesar de gostosas, não tinham nada de especial.

tacos crocantesSentimos falta, sim, do chili con carne (R$34,90 a porção). Em todas as nossas visitas foi o grande diferencial da casa. Como a porção não é pequena, deixamos para outra oportunidade.

Outro pedido obrigatório é a margarita (R$14,90). Peça à Ju que prepare com pouco açúcar: acredite, você vai querer repetir.

Pra completar, tem Original (R$7,00), mas não tem café. Pedimos outro taco antes de ir embora, certos de que vamos voltar: dessa vez, porém, para matar nossa saudade de chili

Data da Visita: 15/09/2011.

Mexico Villa
Rua Purpurina, 493
Vila Madalena
São Paulo, SP
Tel.: (11) 3034-3062

All Seasons

Mais uma edição do São Paulo Restaurant Week e resolvemos conhecer mais um lugar diferente. Juntamos alguns amigos e fomos jantar no All Seasons, do chef Christophe Besse. Situado dentro do hotel Golden Tulip Paulista Plaza, pareceu-nos uma opção interessante e segura.

creme de abóbora e fondue de queijo em crostaPra quem não conhece, o Restaurant Week promove jantares com entrada, prato principal e sobremesa a R$44,00. Boa pedida para conhecer lugares estrelados.

Pra começar, pedimos espumante Salton Brut Reserva Ouro (R$ 65,00). A carta de vinhos é farta, cara, mas possui opções interessantes na faixa de R$80,00 a R$100,00. Bem, vamos aos pratos.

De entrada, as opções eram: creme de abóbora e fondue de queijo em crosta ou compressé de salmão, tomate confite e rúcula selvagem, acompanhados salada morna de champignons.

compressé de salmão, tomate confite e rúcula selvagem, acompanhados salada morna de champignonsO creme de abóbora parecia um soufflé. Mistura interessante. Já o salmão nos deixava na dúvida de por onde começar a comer, dada a apresentação do prato. Por sobre a cama de salmão, uma crosta de waffle de batata servia de suporte para os champignons. Lindo e gostoso. Apenas achei o peixe um pouco salgado.

ravioli verde de linguado, acompanhado de fondue de alho-porró, pimenta verde e bottargaComo prato principal, fui de ravioli verde de linguado, acompanhado de fondue de alho-porró, pimenta verde e bottarga, enquanto a Fê preferiu experimentar a jambonette de pato, acompanhada de redução de cítrico, palet de batata e legumes. Definitivamente o ponto alto da noite foi o ravioli. A apresentação do prato fez jus à entrada. E, na boca, ahhh… jambonette de pato, acompanhada de redução de cítrico, palet de batata e legumesUma explosão de sabores marinhos, rica e ao mesmo tempo suave. Já o pato, embora saboroso, não chegou aos pés de seu concorrente.

De sobremesa, escolhi o papillotte de manga ao champanhe e sorvete de mel, enquanto a Fê foi de pain perdu, compota de cupuaçu e sorvete baunilha. Dessa vez a Fê acertou. O papillote definitivamente não funcionou com a manga. Já a rabanada fez um casamento perfeito com o cupuaçu.

Pra completar, o restaurante dá fácil acesso à área da piscina, onde é possível fumar ao ar livre. Pela qualidade, sabor e apresentação dos pratos, a participação no Restaurant Week tornou o All Seasons uma verdadeira pechincha.

Data da visita: 06/09/2011.

All Seasons
http://www.restauranteallseasons.com.br/
Alameda Santos, 85
Paraíso
01419-000 São Paulo, SP
Tel.: (11) 2627-1336

Suez


Num sobrado discreto, ao lado do All Black, está esse simpático bistrô. Apesar do vallet (R$15,00), é fácil parar o carro nas imediações, à noite, no meio da semana. Perto de casa, por que não experimentar?

área externa
Na entrada, há uma área externa bastante convidativa para os dias de verão. Como estava uma noite fria, optamos por uma mesa no pequeno salão. Ambiente intimista e com controle de temperatura irretocável (muito confortável).

salãoA carta de vinhos é enxuta e de preços bastante razoáveis. Optamos por Los Clop Cabernet Sauvignon (R$51,00). Não nos arrependemos.

couvert (R$7,00 por pessoa) traz pães temperados, alho confitado, tartar de azeitona e manteiga aromatizada com flor de sal. Começou bem.

confit de canardPedimos confit de canard ao molho de cogumelos com polenta de gorgonzola (R$36,00) e filet mignon ao glacê de vinho tinto com gratin de batatas, aspargos e tomate confit (R$40,00).

confit de pato estava correto, mas a polenta (que levava gorgonzola) estava espetacular, tanto no sabor quanto na textura. Depois descobrimos o segredo: no final do preparo, é polvilhada gorgonzola ralada que é derretida com maçarico. Sacada genial.

filet mignon ao glacê de vinho tinto com gratin de batatas, aspargos e tomate confitfilet veio no ponto pedido: rosado para vermelho, derretendo na boca. Soberbo.

De sobremesa, crème brûlée de capim-limão (com forte sabor de limão) e tiramisù (R$14,00), bem servidos e deliciosos.

tiramisùO serviço é atencioso e faz tudo para agradar. Providenciaram até vinho do porto na falta do vinho de sobremesa. Pra terminar o café (de sabor e aroma marcantes) completou a noite. Mais um lugar que vale a pena conhecer – e voltar.

parfait de chocolate branco com calda de frutas vermelhas
Pois voltamos! No retorno, trocamos o pato por rabada de toro. Deliciosa. De sobremesa, parfait de chocolate branco com calda de frutas vermelhas. Tão bom quanto o tiramisù.

E, pra finalizar, mais uma taça de Quinta do Estanho Porto Fine Ruby. Desse, viramos fãs.

Data das Visitas: 03/08/2011 e 03/09/2011.

Suez Gastronomia Mediterrânea
http://www.restaurantesuez.com.br/
Rua Oscar Freire, 155

Jardim Paulista – São Paulo, SP
Tel.: (11) 3081-7909

Zé do Hamburger

Como diz minha descrição neste blog, “xis” só no Rio Grande do Sul. Por quê? Simples, porque é infinitamente mais gostoso que todos os feitos aqui.

O pão, o recheio, a suculência, o tamanho…  ganha disparado em todos esses quesitos! Por isso, quem vai pra POA, não pode deixar de conhecer a baixa gastronomia de lá; é simplesmente fantástica.

pratos vintageEnquanto espero minhas próximas (e merecidas) férias, fico eu, aqui em Sampa, tentanto encontrar um lanche que ao menos “engane” essa minha fixação por “xis”. Foi então que decidi onde almoçaríamos neste último sabadão: no tal Zé do Hamburger.

O lugar realmente é muito interessante, a decoração retrô por todos os cantos, remetendo aos anos 50, impressiona. Até pequenos detalhes, como os pratos vintage da Kellog’s, não foram esquecidos.

onion ringsMas vamos ao que interessa: os lanches — afinal eu estava morrendo de fome. Para começar, pedi (meio que no susto) uma porção de onion rings. Antes tivesse perguntado como era a de lá, pois aquele balde de cebola ralada frita no óleo não é comigo. Gosto daquelas cebolas cortadas em rodelas generosas, verdadeiros anéis envoltos em massa crocante e sequinha. Ponto negativo.

MinasNão demorou muito, veio o sanduíche. Pedi o Minas: hamburger, cebola frita, molho barbecue e maionese (R$ 16,00). Gostoso, mas na primeira mordida senti todo o drama: por conta do excesso de molho barbecue o lanche ficaria extremamente enjoativo e assim aconteceu. Já na quarta mordida eu estava me perguntando: Custava ter pedido um bem basicão?! O Elvio foi de Lambreta (hamburger de picanha ao alho, rúcula, muzarella de búfala e maionese) que estava bem melhor.

LambretaTem um lance que achei muito legal, você pode escolher o ponto do hambúrguer: mal passado, bem passado e ao ponto. Fiquei com este último e… não é que o chapeiro acertou? Estava uma delícia.

A Coca-Cola de garrafinha (R$ 3,90) é a bebida certa para acompanhar o seu lanche – até porque, se quiser tomar um chopinho, vai ficar querendo (lá, álcool, só para limpar as mesas)…

Enfim, no meu caso, custo × benefício prejudicado pela distância e pelo valor um tanto elevado da conta. Valeu a visita para matar minha curiosidade. Mas “xis”, mesmo, só lá no Rio Grande do Sul.

Data da visita: 06/08/2011.

Zé do Hamburger
http://www.zedohamburger.com.br/
Rua Itapicuru, 419
Perdizes
São Paulo, SP

Bar da Dona Onça

Para comemorar meu aniversário escolhi o bar localizado no belo edifício desenhado por Oscar Niemeyer, o Copan. Eu precisava de um lugar que servisse pratos e petiscos, ou seja, ao gosto de cada convidado. Acertei em cheio!

Pra começar muita Serramalte gelada (R$ 9,00). As garrafas ficavam em baldinhos ao lado da mesa, garantindo a temperatura ideal. Os garçons eram responsáveis por reabastecer os copos, que por sinal não ficavam vazios nunca. Muito eficaz o atendimento.

De porções, começamos com a Croc (bife à milanesa, cortado em pequenos cubos, acompanhado de dois molhos: tomate apimentado e queijo). Muito saboroso.

Algumas Serramaltes depois, foi a vez de um trio de sanduíches de mini pão francês com recheio de carne moída, ovo cozido e salsinha. Crocantes e quentinhos, tinham gostinho daqueles feitos em casa. Aliás, essa parece ser a proposta do restaurante.

Bar da Dona OnçaPara fechar a sessão comilança, fomos de canapés de steak tartare (carne crua cortada na ponta de faca). O tempero da carne estava uma delícia, bem marcante, ao contrário da massa que servia de base, crocante, mas um tanto insossa.

O ambiente é um dos pontos altos da casa. A decoração conta com toques da Onça Pintada em todos os cantos, inclusive nos belos quadros com fotos de grandes cidades do mundo todo.

O Dona Onça, é sem dúvida, aquele tipo de bar que devemos incluir na lista dos grandes lugares de Sampa. Então, reúna os amigos ou vá a dois, mas vá conhecer, com certeza será um programão!

Data da Visita: 04/08/2011.

Bar da Dona Onça
http://www.bardadonaonca.com.br/
Av. Ipiranga, 200
Edifício Copan, lojas 27 e 29
Centro
São Paulo, SP
Tel.: (11) 3257-2016

Rincon Patagônico

No sábado à noite, resolvemos ir conferir a parrillada do Rincon Patagônico. Situado numa casinha escondida, próxima à esquina da Giovanni Gronchi com a Guilherme Dummont Vilares, tem apenas duas vagas de estacionamento. Não tem vallet e parar na rua não pareceu muito fácil – a rua é escura e não vi vagas perto. Como fomos de táxi (afinal, íamos tomar vinho), não fez muita diferença.

O espaço é pequeno e aconchegante, com decoração temática. No telão, rolava Argentina × Uruguai. A camisa do Messi, na parede ao lado, dava o tom de como seria a noite.

Anexo ao salão principal há um corredor externo, com mesas próximas a uma lareira. Perfeito para as noites sem chuva. Bem, mas nós fomos para lá para comer.

Aproveitamos o cupom do Club89 e pagamos apenas R$59,90 (entrada, parrillada e vinho); acreditem, não nos arrependemos.

De entrada, pedimos uma empanada de carne picante e outra de palmito (R$5,00 cada). Sequinhas e deliciosas.

A parrillada rincon (linguiça, morcilla, vazio ou frango, bife de chorizo ou ancho, batata recheada, abobrinha na brasa e mais um acompanhamento, a R$118,00) é bem servida e satisfaz duas pessoas. Vem numa espécie de réchaud que manteve a carne quentinha durante todo o jantar. Optamos por vazio (fraldinha), bife de chorizo e morrones (pimentão vermelho na brasa), ao ponto. Nos surpreendemos com os cortes altos, exatamente como se espera de um bom restaurante argentino.

A carta de vinhos guarda um achado: Cava Negra Malbec ou Cabernet Sauvignon a apenas R$35,00. Vale experimentar os dois.

A sobremesa (ah, a sobremesa) conseguiu disputar com o jantar. As panquecas com doce de leite (duas, acompanhadas de sorvete de creme, R$18,00) são pedido obrigatório. O café (Nespresso curto, R$4,50) encerrou a noite.

Apesar da qualidade dos pratos e do ambiente, o que mais impressionou foi o atendimento. Excepcional, principalmente considerando que estávamos com cupom. Dirigimos os merecidos elogios aos garçons pessoalmente ao proprietário – sr. Alejandro, que também estava vidrado no jogo – certos de que voltaremos. E logo.

Data da visita: 16/07/2011

Rincon Patagônico
http://www.rinconpatagonico.com.br/
Rua Aureliano Guimarães, 100
Morumbi
São Paulo, SP
Tel.: (11) 3743-8298

Daitakê

Somos clientes do Daitakê, há mais de um ano, do tempo em que ainda possuía área externa (como nas fotos do site, que está desatualizado). Depois da reforma, a área externa foi fechada – bom para os dias frios, mas ruim porque ainda está pela metade (o piso, de cimento queimado sujo de tinta branca, dá o tom da reforma inacabada).

Situado na esquina da Aicás com a Moaci, é fácil de chegar pelo corredor Norte-Sul sentido Interlagos. Possui vallet (R$10,00), mas com algum esforço você acha lugar pra estacionar na rua. O vallet vale a pena somente nos dias de chuva.

Daitakê ChefLá dentro, o ambiente é agradável e o atendimento, atencioso e rápido. Deixe de lado o tradicional festival – acredite, aqui come-se muito melhor pedindo à la carte e, importante, sem pagar mais por isso. Comece pedindo uma porção de carpaccio de salmão (finas fatias de salmão em molho de shoyu, laranja e gengibre com cebolinha, R$15,00). Maravilhoso.

Não sei porquê, mas é dificílimo encontrar um restaurante japonês em São Paulo que faça um missoshiro decente. Por favor, peça! O do Daitakê é delicioso. Suave e delicado, sem ser aguado.

Os temakis, saborosos, têm tamanho médio (cerca de R$10,00 cada). Boa pedida é o de salmão (salmão picado, cebolinha, maionese, alface e pepino, R$9,75).

DaitakêContudo, o ponto forte são os sushis especiais. Deixe de lado os demais combinados e vá direto ao Daitakê Chef (R$38,00): 15 unidades de sushi especialmente escolhidas pelo chef. Seja simpático e oriente o garçon para pedir ao chef a inclusão do Contemporâneo (roll empanado de salmão e arroz enrolados em alga, com cream-cheese, tarê, cebolinha e gergelim) e o Sushi Daitakê (arroz enrolado em finas fatias de salmão empanado, com recheio de salmão batido com maionese, Tabasco, cebolinha e cream-cheese – definitivamente o melhor sushi que eu já comi).

Se você, como eu, vai acompanhado, repita a porção dando, desta vez, liberdade para o sushiman ousar: é bem provável que você seja premiado com criações que não fazem parte do cardápio – e que são o mais bem guardado segredo do restaurante.

A sobremesa pode ser opcional, mas o café, obrigatório. A essa altura, seguramente você já vai estar pensando em quando vai voltar. E certamente você vai.

Data das Visitas: 26/06/2010, 23/02/2011 e 23/06/2011.

Daitakê
http://www.daitake.com.br/
Rua dos Aicás, 1220
Moema
São Paulo, SP
Tel.: (11) 5533-1038 

Paris 6

É um dos meus lugares prediletos em São Paulo, ambiente, atendimento, pratos, bebidas e sobremesas me conquistaram. Tudo lá é de boa qualidade e com um toque refinado.

Na nossa visita, chegamos bem cedo, antes das 20h, em uma terça-feira, então foi possível pegar um ótimo lugar na varanda. Na verdade todos os ambientes são ótimos, um charme.

Steak tartareDando início aos trabalhos pedimos um steak tartare, muito saboroso e bem apresentado, um dos melhores que já comi, por volta dos R$ 30. Para beber, vinho da casa: para minha grata surpresa era muito bom e o preço, camarada (R$50), levando em conta o tipo de lugar.

O atendimento é muito atencioso, garçons educados e simpáticos. Inclusive na ocasião o chef mandou o garçon escolher um cliente para ser presenteado com uma sobremesa de-li-ci-o-sa de cortesia, e adivinhe quem foram os sortudos?! Sim, nós dois!

Paris 6O doce se tratava de um soufflé de chocolate acompanhado de  sorvete de creme. Divino! Ficamos ainda mais encantados com o bistrô.

Outra vantagem é funcionar 24 horas. Se sua intenção é de tomar umas e outras, saiba que lá servem bebidas alcóolicas só até as 4 da manhã.

É frequentado por vários famosos. Nessa, tinha até uma paparazzi grudada na porta do banheiro esperando uma cantora sair para clicá-la.

Enfim, recomendamos esse lugar. Quem gosta do que a cidade oferece de melhor, não pode deixar de conhecer essa delícia que é o Paris 6.

Data da visita: 03/03/2011.

Paris 6
http://www.paris6.com.br
Rua Haddock Lobo, 1240
Jardim Paulista
01414-002 São Paulo, SP
Tel.: (11) 3085-1595

Era uma vez um Chalezinho…

Fomos ao Chalezinho em um noite de quarta-feira de fevereiro, que para nossa sorte não estava muito quente — afinal iríamos comer fondue e não um churrasco na beira da piscina.

Estava  curiosa para conhecer esse tal restaurante especializado em fondues de São Paulo. Como boa gaúcha, achava Gramado e Canela os “reis dos fondues”.

Fomos levando um daqueles cupons de sites de descontos. Chegando lá, fomos atendidos por uma hostess que nos mostrou todos os ambientes da casa. Logicamente, escolhi a área externa pois, a menos que esteja nevando ou chovendo canivetes, sempre escolho mesas ao a livre.

Decorado no estilo romântico, achei pefeito para casais namorarem e se aquecerem no inverno. Logo avistei um grande grupo de amigos em uma conversa animada regada a vinho e percebi que o restaurante não é exclusivo para casais.

O garçon chegou e nos trouxe a entrada: uma burrata (mussarela de búfala com recheio cremoso), acompanhada de torradas e pãezinhos. Começou bem.

Mas, ao abrir a carta de vinhos, percebi que a noite não seria tão legal assim. Senti-me lesada: vinhos comuns, de qualidade apenas razoável, a preços exorbitantes, começando na faixa dos R$90,00. Pra completar, nem um sommelier a casa tinha ali, tivemos que ir na sorte mesmo. Imperdoável para um restaurante especializado em fondue.

fondueO cupom nos dava direito a dois fondues, um salgado e um doce. Escolhemos o de carne no consommé de vinho tinto e tenho de admitir, foi o melhor que já comi. Bate fácil todos os da Serra do Rio Grande do Sul juntos. O vinho e especiarias conferem a carne um sabor incomparável, só mesmo provando para entender. Os molhos são gostosos, mas curti mesmo o de alho, humm… amo alho!

Hora de pedir o de chocolate. De qualidade excelente, delicado, nada enjoativo. Porém a essa altura, eu já havia comido bastante e decidi não me jogar de boca no balde de chocolate acompanhado de frutas, biscoitos e cia. Dei uma segurada e pedimos a conta, que foi bem cara, culpa dos vinhos carérrimos, vallet, 10% de um serviço não lá grande coisa, água, entrada, couvert artístico, o ar que respirei… Eles cobram por TUDO!

Se eu voltaria lá?! Talvez. Como já disse anteriormente, odeio me sentir lesada pelos preços assustadores de algumas cartas de vinhos de SP. Voltaria pelo fondue bourguignonne no consommé de vinho tinto; desta vez, porém, pedindo água para acompanhar, claro!

Data da visita: 03/02/2011.

Era uma vez um Chalezinho…
http://www.chalezinho.com.br/
Rua Itapimirum, 11
Morumbi
São Paulo, SP
Tel.: (11) 3501-9322