Todos os post de Fernanda

Uma chata. Maionese, pra ela, só caseira. Bar precisa ter Serramalte. E xis, só no Rio Grande do Sul.
Tubaína Bar

Tubaína Bar

Tubaína BarLembro quando comecei a ouvir rumores sobre este bar. Na Haddock Lobo, pertinho de casa… Porém, pensei: Ir a um bar para tomar refrigerante? Não rola!

Ledo engano. O Tubaína Bar é especialista quando o assunto é diversão, seja ela etílica ou não.

Tubaína BarÉ um bar que remete totalmente a nossa infância — sim, lá é um barato, tudo leva a crer que você voltou no tempo. As paredes, com cartazes de refrigerantes antigos, e o mobiliário compõem o clima retrô. Duvido você dar uma rápida olhada e não achar aquela cadeira ou mesa que tinha na casa da sua avó. Você até vai achar que está lá.

Eu Tenho a ForçaSou cervejeira assumida. Contudo, apesar do cardápio contar com chopp Bamberg que o Elvio tomou (cremoso e bem tirado, R$6,50) e cervejas Bamberg e Colorado (R$18,00), preferi provar a especialidade da casa: os drinks. E para começar a festa fui de “Eu Tenho a Força” (tubaína, xarope de melancia, vodka e Red Bull, R$16,00). Leve e docinho. Aprovei.

Como também sou curiosa, pedi o famoso Guaraná Jesus (aquele que bate fácil a Coca-cola no Maranhão, R$8,00). Doce (beeem doce) e fraco de sabor.

bolinhos de cuscuzEnquanto bebericava um e outro, lia o cardápio em busca de porções. Como quase todas as opções me agradavam, pedi ajuda ao simpático e solícito garçon. Ele acertou em cheio na sua indicação.

Alguns minutos depois, chegou a mesa uma deliciosa porção de bolinhos de cuscuz recheado com frango e queijo (cinco unidades, R$15,00). Salpiquei algumas gotas de Tabasco e lá estava eu a comer umas das melhores porções de Sampa.

Na sequência, pedi as também famosas coxinhas de feijão. Para o meu paladar, não agradaram. Achei o recheio um tanto seco.

cebicheMas isso pouco importou, porque o melhor ainda estava por vir: o cebiche (R$34,00). Seguindo a receita tradicional peruana, este peixe marinado em limão e especiarias foi servido com milho e batata doce. Com uma belíssima apresentação, surpreendeu-me pelo sabor na medida certa — leve, porém marcante. A batata doce equilibra a acidez do peixe, tornando-se assim companhia indispensável ao prato. Simplesmente, a melhor pedida dos últmos tempos!

Para acompanhar, o atencioso, gentil e polivalente Alex — responsável pela criação dos drinks e também gerente da casa — perguntou se gostaríamos de experimentar o também peruano “Pisco Sour” (limão, açucar, clara de ovo e angostura, R$20,00). Além de muito bem preparado e gostoso, foi a bebida ideal para harmonizar com o cebiche.

bule de caféPara fechar em grande estilo, peça o bule de café (R$9,00). Ao ver o bule e as xícaras, você então terá certeza que está, sim, na casa da avó. Café mais do que suficiente para três pessoas, acompanhado de uma deliciosa fatia de bolo de cenoura com calda quente de chocolate. Foi a chave de ouro.

Devo dizer que amei o lugar. O Tubaína Bar é ideal para passar horas e horas agradabilíssimas com seus amigos, namorados e familiares. Lugar de comida boa, ótimo atendimento, drinks nota 10 e, pra completar, uma decoração pra lá de especial, pensada em cada detalhe. Deixe-se levar pela nostalgia e aproveite esta delícia, pois com certeza não é um bar que achamos em qualquer lugar, em qualquer esquina.

 Data da Visita: 15/10/2011.

Tubaína Bar
http://www.tubainabar.com/
Rua Haddock Lobo 74
Baixo Augusta
01414-000 São Paulo, SP
Tel.: (11) 3129-4930

Beco_1

Bistrô Beco dos Sabores

Depois de um dia maravilhoso de sol, mar e piscina resolvemos fechar o sabadão com chave de ouro e, para isso, deixamos o carro em uma rua qualquer e saímos à cata de um lugar bacana — tarefa fácil em Juquehy.

Lá todos os bares e restaurantes são um charme.

Beco dos SaboresFoi quando nos deparamos com este simpático bistrô no centrinho super badalado da praia, com decoração bem rústica e luminárias coloridas, chama a atenção de quem passa a sua frente. Achei ser minha cara, e sem pensar muito logo entrei e escolhi uma mesa ótima na varanda, de frente para a ruazinha super movimentada. Pena que minha empolgação durou pouco.

Bolinhos de abóbora com carne secaSim, porque ao abrir o cardápio vi que os preços não eram muito convidativos. As porções custavam na casa dos R$35,00 — como os bolinhos de abóbora com carne seca (R$33,00, porção com oito unidades) que, apesar de gostosos, eram minúsculos e o recheio, tão suave que só senti a abóbora.

O pior, no entanto, foram as cervejas… Além de poucas opções, estavam carérrimas!!! Imaginem pagar R$12,00 por uma simples Original. Não, inadmissível! Acabamos optando pela Norteña (R$17,90).

Beco dos SaboresPor conta disso, decidimos que ficaríamos somente até terminarmos a cerveja. Para matar a fome, o melhor a fazer seria repetirmos figurinhas, ou seja, voltar ao restaurante da noite anterior — tão charmoso quanto o bistrô, porém com preços bem mais acessíveis.

Data da Visita: 01/10/2011.

Bistrô Beco dos Sabores
http://www.villabistro.com.br/
Av. Mãe Bernarda, 637
Juquehy
São Sebastião, SP
Tel.: (12) 3863-2609

chopphalle

Chopp Halle

Embora o Guarujá seja minha praia preferida entre as do litoral sul, na hora de atender a minha fome, não é qualquer lugar que me agrada. Falta de opções? Não. O problema tem nome: Qualidade, ou melhor, a falta dela.

E no quesito qualidade o Chopp Halle não decepciona, das vezes em que apareci por lá, saí satisfeita e com a sensação de ter feito um bom negócio, gastronomicamente falando.

O Chopp Halle é  um restaurante alemão que serve pratos com cara de praia, compreensível, já  que se trata de um restaurante com uma belíssima vista para o mar, o de Pitangueiras. O visual da praia é mais encantador ainda  se você conseguir um lugarzinho no andar de cima, que conta com uma decoração “rústica chique”.

Mas chega de falar da tal vista, e vamos ao assunto que você quer saber: Comida! Bem, nos meses de setembro à novembro acontece o Festival do Camarão. Um dos meus prediletos, que recomendo sem pestanejar, é o Camarão ao Catupiry – Flambado no conhaque, leva creme de leite e claro, Catupiry – escoltado por arroz e batata palha.  É de babar! Vale cada centavo dos R$ 87,00 cobrados pelo prato que serve duas pessoas. A grande estrela, o camarão, é daqueles top de linha: além de grande, possui ótimo sabor e textura.

Fica a dica pra você que, assim como eu, é exigente e não aceita se contentar com qualquer coisa simplesmente porque está na praia. Vá com fome, sede (para tomar o honesto chopp Brahma) e tempo. Sim, pois acredite, você vai amar aquela vista e vai querer estender ao máximo sua permanência por lá.

Chopp Halle
http://www.chopphalle.com.br/
Av. Marechal Deodoro da Fonseca, 1520
Pitangueiras
Guarujá, SP
Tel.: (13) 3382-1040

Recanto Verde Praia Hotel

Recanto Verde Praia Hotel

Recanto Verde Praia HotelSexta-feira de céu limpo e embalados pela promessa de mais calor para sábado. Assim fomos rumo à praia de Juquehy, em São Sebastião. E, nesse belíssimo lugar de mar azul e areia fofa, escolhemos o Recanto Verde Praia Hotel.

Ao adentrar na pousada, lembrei da impressão que tive ao ver o site — lá achei o lugar apenas “ajeitadinho”, nada demais. Mas, ao vivo e a cores, uma surpresa das boas: o lugar além de muito gracioso e extremamente limpo, era bem maior do que se mostrava no site. Quarto bastante amplo e piscina grande o suficiente para dar boas braçadas. Amei!

No dia seguinte, antes de dar apenas alguns passos até a praia — sim, fica bem próximo ao que interessa — tomamos o café da manhã composto de algumas frutas, pães, frios, bolos, pães de queijo, sucos, leite e café. Era gostoso, mas nada de diferente de outros hotéis que costumamos frequentar.

O atendimento, no geral, foi bem satisfatório. Lembro de ter sido pega de surpresa por uma cerveja long neck que necessitava de um abridor. Já era quase meia noite quando solicitei ao rapaz da recepção que, mesmo estando só, prontamente levou ao meu quarto e, assim, me livrou de ter que tomar a Itaipava que o frigobar oferecia a R$5,50 (lata, 350mL). Ufa!

Taí uma desvantagem do hotel: as comidas e bebidas não são baratas. Os pratos, mesmo servindo duas pessoas, giravam na faixa dos R$60,00 e lanches simples, na de R$15,00. Na verdade, este nem foi o motivo pelo qual não conhecemos seus pratos e, sim, porque quando estamos em lugar paradisíaco como este [Juquehy], queremos mais é explorar a culinária que os restaurantes e bares da cidade nos ofertam. E garanto a vocês que não nos arrependemos, pois conhecemos lugares bem interessantes, assunto garantido para próximos posts.

O valor das diárias está disponível no site. No mês em quem fomos (outubro/2011), o pacote de duas diárias no final de semana estava custando R$400,00 o casal, com check-in às 16h de sexta e check-out às 14h de domingo.

Por fim, recomendo este hotel para aquele merecido descanso, seja relaxando na tranquila e agradabilíssima área da piscina ou na praia, a poucos metros dali. Mas isso tanto faz, pois o lugar como um todo é bastante encantador e você voltará de alma lavada!

Data da Visita: 30/09 a 02/10/2011.

Recanto Verde Praia Hotel
Rua Benedito Vitorino dos Santos, 197
Juquehy
11600-000 São Sebastião, SP
Tel.: (12) 3863-2451

Bar Higienópolis

São Paulo Boteco Week, primeiro ano, primeiro dia e lá fomos nós com uma pontinha de desconfiança desse evento. Sim, porque na verdade ele foi muito mal divulgado, as combinações (cerveja+petisco) não muito atraentes e os bares participantes pouco conhecidos.

Meio que no uni-duni-tê, escolhemos o Bar Higienópolis e combinamos de ir com uma galera animada do Kekanto. Sorte para o bar, pois se tivesse ido só com o Elvio, não teria ficado nem meia hora lá.

O cardápio é um dos mais pobres de cerveja que já vi.  Ok, tinha Eisenbahn, Devassa e Baden Baden, mas… e as boas e velhas cervejas de garrafa?! Nada, nenhuma, nadinha de nada, necas de pitibiribas. Além disso, essas poucas opções de long neck que citei estavam beeem caras.

O SP Boteco Week funciona assim: cada bar participante oferece três tipos de combos por um preço fixo, R$ 25,00. O que eu escolhi dava direito a duas Eisenbahn Strong Golden Ale acompanhadas de uma porção de batatinhas assadas com casca com um molhinho de azeite e gorgonzola.

Bar HigienópolisVeja bem, isso é o que dizia o site do SPBW, pois lá no bar inverteram as porções. Claro que avisei o garçon, que não gostou nem um pouco de saber, inclusive disse que “esse negócio de harmonização é bobagem”. Please, né?! Mas no fim ele resolveu arrumar a plaquinha e deixar tudo como estava no site.

Além da porção – bem sem graça – de batatas, ainda comi os bolinhos de arroz,  cujo gosto era puro gengibre: gengibre no bolinho, gengibre no molho… Não curti. E olha que eu gosto de gengibre.

O atendimento foi muito ruim, as bebidas demoravam e por muitas vezes tínhamos de chamar a atenção dos garçons. Além disso, gentileza não era o forte deles que, por diversas vezes, foram bem ríspidos.

Enfim, encerro por aqui meu relato, relato esse não muito feliz sobre o primeiro ano do SPBW. Espero que tanto o bar como o evento evoluam até o próximo, no ano que vem. Quem sabe não damos uma segunda chance?

Data da visita: 20/08/2011

Bar Higienópolis
http://barhigienopolis.com.br/
Rua Pará, 2
Higienópolis
01243-020 São Paulo, SP
Tel.: (11) 3255-8676

Zé do Hamburger

Como diz minha descrição neste blog, “xis” só no Rio Grande do Sul. Por quê? Simples, porque é infinitamente mais gostoso que todos os feitos aqui.

O pão, o recheio, a suculência, o tamanho…  ganha disparado em todos esses quesitos! Por isso, quem vai pra POA, não pode deixar de conhecer a baixa gastronomia de lá; é simplesmente fantástica.

pratos vintageEnquanto espero minhas próximas (e merecidas) férias, fico eu, aqui em Sampa, tentanto encontrar um lanche que ao menos “engane” essa minha fixação por “xis”. Foi então que decidi onde almoçaríamos neste último sabadão: no tal Zé do Hamburger.

O lugar realmente é muito interessante, a decoração retrô por todos os cantos, remetendo aos anos 50, impressiona. Até pequenos detalhes, como os pratos vintage da Kellog’s, não foram esquecidos.

onion ringsMas vamos ao que interessa: os lanches — afinal eu estava morrendo de fome. Para começar, pedi (meio que no susto) uma porção de onion rings. Antes tivesse perguntado como era a de lá, pois aquele balde de cebola ralada frita no óleo não é comigo. Gosto daquelas cebolas cortadas em rodelas generosas, verdadeiros anéis envoltos em massa crocante e sequinha. Ponto negativo.

MinasNão demorou muito, veio o sanduíche. Pedi o Minas: hamburger, cebola frita, molho barbecue e maionese (R$ 16,00). Gostoso, mas na primeira mordida senti todo o drama: por conta do excesso de molho barbecue o lanche ficaria extremamente enjoativo e assim aconteceu. Já na quarta mordida eu estava me perguntando: Custava ter pedido um bem basicão?! O Elvio foi de Lambreta (hamburger de picanha ao alho, rúcula, muzarella de búfala e maionese) que estava bem melhor.

LambretaTem um lance que achei muito legal, você pode escolher o ponto do hambúrguer: mal passado, bem passado e ao ponto. Fiquei com este último e… não é que o chapeiro acertou? Estava uma delícia.

A Coca-Cola de garrafinha (R$ 3,90) é a bebida certa para acompanhar o seu lanche – até porque, se quiser tomar um chopinho, vai ficar querendo (lá, álcool, só para limpar as mesas)…

Enfim, no meu caso, custo × benefício prejudicado pela distância e pelo valor um tanto elevado da conta. Valeu a visita para matar minha curiosidade. Mas “xis”, mesmo, só lá no Rio Grande do Sul.

Data da visita: 06/08/2011.

Zé do Hamburger
http://www.zedohamburger.com.br/
Rua Itapicuru, 419
Perdizes
São Paulo, SP

Bar da Dona Onça

Para comemorar meu aniversário escolhi o bar localizado no belo edifício desenhado por Oscar Niemeyer, o Copan. Eu precisava de um lugar que servisse pratos e petiscos, ou seja, ao gosto de cada convidado. Acertei em cheio!

Pra começar muita Serramalte gelada (R$ 9,00). As garrafas ficavam em baldinhos ao lado da mesa, garantindo a temperatura ideal. Os garçons eram responsáveis por reabastecer os copos, que por sinal não ficavam vazios nunca. Muito eficaz o atendimento.

De porções, começamos com a Croc (bife à milanesa, cortado em pequenos cubos, acompanhado de dois molhos: tomate apimentado e queijo). Muito saboroso.

Algumas Serramaltes depois, foi a vez de um trio de sanduíches de mini pão francês com recheio de carne moída, ovo cozido e salsinha. Crocantes e quentinhos, tinham gostinho daqueles feitos em casa. Aliás, essa parece ser a proposta do restaurante.

Bar da Dona OnçaPara fechar a sessão comilança, fomos de canapés de steak tartare (carne crua cortada na ponta de faca). O tempero da carne estava uma delícia, bem marcante, ao contrário da massa que servia de base, crocante, mas um tanto insossa.

O ambiente é um dos pontos altos da casa. A decoração conta com toques da Onça Pintada em todos os cantos, inclusive nos belos quadros com fotos de grandes cidades do mundo todo.

O Dona Onça, é sem dúvida, aquele tipo de bar que devemos incluir na lista dos grandes lugares de Sampa. Então, reúna os amigos ou vá a dois, mas vá conhecer, com certeza será um programão!

Data da Visita: 04/08/2011.

Bar da Dona Onça
http://www.bardadonaonca.com.br/
Av. Ipiranga, 200
Edifício Copan, lojas 27 e 29
Centro
São Paulo, SP
Tel.: (11) 3257-2016

cervejaria_devassa

Cervejaria Devassa

Gosto não se discute. Fato. Por isso vou discordar de tantas opiniões favoráveis que li antes de conhecer este bar.

Era sábado a noite e nós ainda não sabíamos o que fazer, foi quando lembrei da Cervejaria Devassa. Deixei meu preconceito de lado (odeio Nova Schin) e resolvi arriscar.

Noite bem agradável, fomos caminhando. Já cheguei meio injuriada pois não achei tão perto assim de casa pra ir caminhando com minha bota que não é nada confortável, então pensei: o chopp tem que ser dos bons!!!

Pedimos de cara os chopps Sarará (R$ 8,90) e Ruiva (R$ 5,80), mas…. o que era aquilo?!

O tal Ruiva, aguado até não poder mais. Já o Sarará, extremamente doce, pura banana. Mas como somos brasileiros e não desistimos nunca, optamos por pedir todos os demais para não cometer injustiça: veio Loura, Índia, Negra… todos uma água suja! Os dois últimos, além de aguados, tinham um retrogosto amargo muito desagradável… PÉSSIMO!!!

Enquanto encarávamos os chopps, pedimos uma porção de queijo coalho que acompanhava minúsculos pedaços de tomate e folhas de manjericão.

Não estava tão ruim quanto os chopps, porém bastou o prato esfriar e o queijo virou uma borrachinha.

Outro ponto negativo foi o banheiro, só no segundo andar, detesto isso. E o medo de cair?

Pra completar, não gostei do público que frequenta o bar. Patricinhas metidinhas de nariz empinado era o que mais se via lá.

Contudo, aos 47 do segundo tempo, tivemos uma idéia brilhante: o Bella Dama, um botecão pé sujo (mas bem, beeeeeem, sujo) a menos de 50m da Devassa. Lá fui eu salvar minha noite com uma bela Serramalte e uma porção decente de pastéis de carne e queijo.

Acabou que deu pra me divertir, mas Nova Schin, aprendi de vez a lição, nunca mais!!!

Cervejaria Devassa – Bela Cintra
http://www.devassa.com.br/
Rua Bela Cintra, 1579
Jardim Paulista
São Paulo, SP
Tel.: (11) 3081-6081 / (11) 3081-6081

Syndikat

Syndikat é um jazz club instalado em um sobradinho um tanto escondido nos Jardins. Na entrada da casa há uma pequena varanda com algumas mesinhas de madeira, mas é no subsolo que rolam os shows.

A proposta da decoração é boa, mesinhas baixas e muitas almofadas dão um toque especial ao ambiente, mas creio que o mesmo já está precisando de um upgrade. Isso porque já passou por uma reforma: as paredes, hoje laranjas, eram pintadas de azul.

Eisenbahn Strong Golden AleNessa noite fomos munidos de um cupom de desconto que dava direito a: show ao vivo + antepasto + duas massas a escolher + quatro taças de vinho + sobremesa, de R$ 153,00 por R$ 59,00 — promoção essa para duas pessoas. Parecia perfeito, mas…

Tirando o show que foi muito gostoso de ver e ouvir, o resto não agradou. Para dizer a verdade, a entradinha — pães, pasta de berinjela e azeitonas — até que foi bem comível. Já os pratos, apesar de bem servidos, estavam com o molho rosé aguado e sem gosto.

O vinho, oferecido em taças, dava a nítida impressão de ter sido “batizado” com água. Melhor seria se tivéssemos tido a opção de trocar por cerveja — o cardápio traz opções interessantes, como a Eisenbahn Strong Golden Ale, até a exótica Mac Queen’s Nessie, com malte de whisky.

Syndikat JazzclubPara completar, a sobremesa — que só foi servida após eu lembrar o garçon que ela também fazia parte da promoção — em nada lembrava a mousse descrita no cupom. Tratava-se de uma torta de chocolate… sem gosto de chocolate!! A cobertura parecia feita de pudim daqueles de caixinha. Eca!

O atendimento foi um tanto desastroso. Talvez pelo fato da casa estar cheia por causa da promoção, os dois ou três garçons não davam conta, sumiam do mapa e quando voltavam você tinha de repetir seu pedido pois eles haviam esquecido.

Portanto, se você vir essa promoção em algum desses sites de descontos e se interessar, vá preparado somente para assistir ao um bom show de jazz, pois de resto a casa vai ficar devendo.

Data da visita: 21/05/2011.

Syndikat
http://www.syndikat.com.br/
Rua Moacir Pisa, 64
Jardim Paulista
São Paulo, SP
Tel.: (11) 3016-3087

Cervejaria Ô Fiô

Mesas ao ar livre na grande área externa. Ao lado, a “cantoria” (MPB ao vivo). E lá vamos nós conhecer mais uma cervejaria prometendo ter uma das melhores cartas de cerveja de São Paulo: 250 rótulos de cervejas especiais, artesanais e importadas. Mas não foi bem assim, não.

De cara, notamos que o cardápio estava cheio de bolinhas brancas. Ah! Isso? São as cervejas que estão em falta… avisa o garçom. Muito chato, mas ao menos ele se redimiu indicando por conta própria a alemã Tucher Helles Hefe Weizen, agradou, com presença marcante de cravo, e retrogosto levemente amargo que lhe caiu muito bem.

onion ringsHora de pedir um petisquinho, fomos de anéis de cebola empanados na cerveja. Saborosos, com massa grossa e sequinha. Já uma amiga que nos acompanhava não teve muita sorte ao pedir um caldinho de feijão: na verdade mais parecia um caldinho de coentro.

O atendimento não foi dos piores, mas por muitas vezes os garçons sumiam de vista. Chegaram a trazer uma cerveja que não havíamos pedido e que chegou a ser aberta, mas que não foi cobrada. Deve ter sido em consideração ao total da nossa conta, bemmm cara (os preços das cervejas não são nada em conta).

Gostei de conhecer. Fico curiosa enquanto não vou a um lugar que me interesse, porém não vejo grandes vantagens em me deslocar até o Rio Pequeno e correr o risco novamente de ter que me contentar apenas com as que escaparam da tal bolinha branca.

Cervejaria Ô Fiô
http://www.cervejariaofio.com.br/
Rua Lício Marcondes do Amaral 51
Rio Pequeno
05616-100 São Paulo, SP
Tel.: (11) 3721-6636 / (11) 3721-3688